Captopril: Bula e Cuidados de Enfermagem

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O profissional de Enfermagem é essencial no tratamento medicamentoso do paciente. Em especial no paciente hipertenso que tem o perfil majoritário de idosos e acuidade visual diminuída. Além dos cuidados relacionado a ação da medicação, o profissional de enfermagem deve estar atento a passar os cuidados de maneira mais clara possível e elaborar estratégias para tornar o uso da medicação mais simples como a utilização de cores ou desenhos. Abaixo confira os cuidados de Enfermagem para o Captopril. Primeiramente traremos a bula e após os cuidados de enfermagem. Confira a seguir!

RESUMO: Captoril é um hipotensor arterial que atua na inibição da Enzima Conversora de Angiotensina (ECA) I e II, possuindo nomes comerciais mais comuns de: Captopril, Capoten, Capotrat  e Hipoten. Sua administração é restrita por VO por comprimidos. Ação inicia-se entre 15 e 90 minutos após a administração e a eliminação corpórea entre 6 e 12 horas. A administração por via sublingual deve ser utilizada somente em casos específicos e em ambiente hospitalar. Como cuidados de enfermagem devemos orientar sobre a interação medicamentosa; instruir sobre as contraindicações (gravidez, lactação, ICC); instruir uso ininterrupto da medicação, mesmo com sinais de melhora. Além do uso, preferencial, 1 hora antes das refeições.

BULA

APRESENTAÇÃO

Comprimidos de 12,5mg, 25mg ou 50mg.

PROPRIEDADES

inibe a conversão de angiotensina I em angiotensina II, um vasodilatador potente. Reduz a formação de angiotensina II, diminuindo a resistência arterial periférica. Reduz as retenções de sódio e água, diminuindo a PA.

FARMACOCINÉTICA

Uso VO. Ação inicia entre 15 e 90min; nível sanguíneo em 1-2h; eliminação: 6-12h.

INDICAÇÕES E POSOLOGIA

Hipertensão. VO (adultos): 25mg, 2 vezes por dia (se, em 2-4 semanas, não houver uma redução satisfatória da PA, 3 dose poderá ser aumentada para 50mg, 2 vezes por dia). Insuficiência cardíaca. VO (adultos): 6,25mg ou 12,5mg. 2-3 vezes por dia. tAM. VO (adultos): dose inicial -6,25mg (a dose poderá ser aumentada gradualmente para 37,5mg/dia, 3 vezes por dia).

CONTRAINDICAÇÃO E PRECAUÇÕES

Hipersensibilidade. ICC. Gestação ou lactação. Use cuidadosamente nos casos de lúpus eritematoso e em pacientes imunodeprimidos.

REAÇÕES ADVERSAS

Cardiovascular: ICC, taquicardia, hipotensão, angina pectoris, pericardite.

Dermatológicas: rash, rash maculopapular, prurido.

Exames laboratoriais: aumento transitório das enzimas hepáticas.

Gatrointestinais: irritação gástrica, úlcera péptica, disgeusia, constipação.

Urinárias: insuficiência renal, proteinúria, síndrome nefrótica, glomeruiopatia membranosa.

Hematológicas: leucopenia, agranutocitopenia, pancitopenia.

Respiratórias: tosse seca e persistente.

Sistema Nervoso Central: anorexia, tontura.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Antiácidos diminuem o efeito do captopril;

Aumenta até 30% a concentração da digoxina;

Diuréticos podem causar hipotensão súbita;

Maior risco de hipoglicemia em pacientes que fazem uso de hipoglicêmicos.

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

1 – Instruir o paciente a tomar a medicação conforme prescrição médica;

2 – Orientar da importância de não interromper o medicamento, mesmo em caso de melhora dos sintomas;

3 – Realizar esquema lúdico, em especial com pacientes idosos ou que fazem uso de várias medicações, para facilitar a adesão, pode ser utilizado caixas separadoras, desenhos, classificação por cores, dentre outras tecnologias;

4 – Orientar sobre os riscos do Captopril para mulheres gestantes ou em lactação;

5 – Em caso de suspeita ou gravidez confirmada, orientar o paciente a procurar unidade de saúde para nova avaliação medicamentosa;

6 – Orientar sobre as reações adversas mais frequentes relacionadas e, na ocorrência de alguma delas, procurar a unidade de saúde;

7 – Instruir ao paciente a motorização regular da pressão arterial, preferencialmente na Unidade de Saúde, tais como o Programa de Hiperdia, além de monitorização doméstica;

8 – Em casos especiais, capacitar familiar ou o próprio paciente a manusear aferidores de pressão arterial digital e realizar o registro do controle diário para ser apresentado na Unidade de Saúde;

8 – Orientar o paciente evitar dirigir nos primeiros dias do tratamento devido as tonturas;

9 – Instruir sobre uso da medicação 1 hora antes da refeição ou 2 horas após.

10 – Ensinar métodos que garantam uma melhor adesão medicamentosa, em especial, nos casos de paciente com acuidade visual diminuída, idade avançada, leitura insuficiente.

Esperamos que tenha gostado da postagem sobre os cuidados de enfermagem com o Captopril. Gostou da maneira que o conteúdo foi apresentado? Tem alguma sugestão para as postagens futuras de artigos similares? Deixei o comentário abaixo! Confira mais cuidados de enfermagem em medicações AQUI.


Referências

AME. Dicionário de Administração de Medicamentos na Enfermagem. São Paulo-SP, Ed. Epub, ed. 10, 2009–2010.
MEDLEY. Bula de Captopril. Disponível em:www.medley.com.br/Download/Force/98

Se você encontrou um erro de português, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionar Ctrl + Enter.

Lucas Queiroz

Lucas Queiroz é o proprietário da Central da Enfermagem. Mestre em Ciências da Saúde, realiza pesquisas no campo do cuidado aos consumidores de drogas e atua como Enfermeiro em instituição federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Relatório de erros de ortografia

O texto a seguir será enviado para nossos editores: